SQLServerDF Encontro V – PASS Summit e Disaster Recovery

Bom Dia Pessoal,

No dia 25/11 (a última quarta-feira) participei do 5º encontro do grupo SQL Pass no auditório da Microsoft no DF muito bem representado por nada menos que o Luciano Moreira Caixeta. O encontro foi divido em duas partes. Na primeira parte, o Luti expôs um pouco sobre o SQL Pass Summit 2009 que ocorreu em Seatle. Não participei desse evento, mas foi passada uma visão geral do evento, as sessões, o altíssimo nível dos palestrantes, os custos envolvidos e os passatempos das horas vagas (afinal não são 24 horas de SQL Server por dia de evento). O evento é sem dúvida fantástico e aqueles que querem tornar seus conhecimento sobre SQL Server mais sólidos, esse é o evento. Tem alguns pré-requisitos como estar com o inglês em dia, gostar muito de SQL Server e reservar alguns dólares para o evento e para as compras (não dá pra ir nos EUA e voltar de mãos vazias). As inscrições para as próximas edições do evento já estão disponíveis no link oficial da organização do SQL Pass em http://www.sqlpass.org/.

A segunda parte do evento, como é de praxe, foi voltada às apresentações que envolvem algo mais técnico do SQL Server como novas features, melhores práticas, etc. Aproveitando a palestra de Disaster Recovery – Tópicos Avançados que fiz no SQL Server Day, eu apresentei o mesmo tema no encontro do Pass.

Embora muito parecidas, uma das diferenças em relação à apresentação anterior (principalmente por conta dos vários feedbacks) foi a adição de alguns slides extras como os referentes ao recurso de Database Snapshot que não estava contemplado anteriormente.

No SQL Server Day, meu limite de tempo era de apenas uma hora. Já nesse encontro do SQL Server Pass DF, o tempo aumentou consideravelmente e pude palestrar por duas horas (embora tenha passado uns 15 minutos do tempo mesmo assim). Esse aumento foi muito positivo para incrementar e explorar mais o conteúdo, para as dúvidas e discussões que apareceram.

O tema "Disaster Recovery" é sem dúvida um dos mais importantes na carreira de qualquer DBA e profissionais de infraestrutura. Preparar-se para as potenciais falhas, saber o que fazer em momentos de crises e utilizar a estratégia certa para disponibilizar novamente o ambiente são pontos chaves.

Há várias implementações voltadas a Disaster Recovery. Database Mirroring, Log Shipping, Replicação, etc são alguns exemplos (Hot & Warm Server), mas dada à amplitude desse assunto, a apresentação foi limitada especificamente ao assunto Backup & Restore (Cold Server).

A apresentação foi dividida em duas partes. Na primeira parte revisei os conceitos básicos como a estrutura básica do log de transações, como as páginas são alteradas no SQL Server, os modelos de estruturação e comportamento do log (Recovery Models) e as estratégias básicas de backup como o backup full, o diferencial e o de log. Já na segunda parte, aproveitei para explorar algumas implementações mais avançadas como o backup de filegroup e suas possibilidades de restauração (em especial a restauração de filegroups individuais se desejável). O ponto interessante é que esse tipo de restauração normalmente é cercada de mitos e lendas urbanas como a perda dos relacionamentos das tabelas em filegroups separados ou ainda a desincronização dos índices. Na apresentação foi possível ver que nada disso é verdade e que o log de transações "sabe" de tudo para evitar que essas distorções ocorram. Ainda na segunda parte foram abordados a restauração via standby, o tail log e algumas opções relacionadas à gravação e consistência do backup como o CheckSum e o parâmetro CONTINUE_AFTER_ERROR.

Dentre as várias pessoas que assistiram a apresentação estavam boa parte da equipe de banco de dados do meu atual emprego. O maior desafio dessa equipe é manter toda a parte de armazenamento lógico de um sistema financeiro cooperativo em ampla expansão em um ambiente de missão crítica.

Além das responsabilidades de administrar e manter o DB2 repousando sobre um ZLinux no Mainframe, a parte de SQL Server representa pouco mais de 700 bases distribuídas por 20 servidores (todos clusterizados) em um ambiente clusterizado ocupando cerca de 8TB em produção (só não aumenta por conta do expurgo). Há muitas implementações voltadas para o SQL Server 2000 e 2005.

A presença dessa equipe na apresentação foi muito importante, pois, além dos exemplos básicos, pudemos utilizar vários exemplos do nosso ambiente em situações do nosso cotidiano. Dúvidas muito interessantes como "Qual deve ser o tamanho do meu arquivo de Log ?", "Como funciona exatamente a marcação das páginas que vão para o backup diferencia ?", etc complementaram bastante a apresentação.

Gostaria de agradecer a todos que participaram de mais esse encontro e assistiram à palestra. Eu não percebi na hora, mas o Luti fez a gravação e a transmitiu em tempo real (achei que só seria gravado, mas não transmitido). Agradeço também aqueles que assistiram à transmissão. Espero que muitos outros como esse se repitam. O material será disponibilizado na lista oficial do grupo em http://groups.google.com/group/sqlserverdf. Aos interessados o link abaixo possui o PDF da apresentação.

http://cid-f4f5c630410b9865.skydrive.live.com/self.aspx/ProjetosSQLServer/Webcast/20091125%5E_SQLServerPassDF/20091025%5E_SQL%5E_Server%5E_Pass%5E_DF%5E_Disaster%5E_Recovery.pdf

[ ]s,

Gustavo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s